segunda-feira, 9 de junho de 2008

2010: O ano que NÃO faremos contato - O Colapso da Internet

O calendário Maia prevê o fim do mundo para 2012, assim como outras previsões esotéricas. Alguns falam em asteróides ou cometas se chocando com a Terra por volta desse ano, mas a nova teoria catastrófica em voga na web é o colapso da Internet em 2010.

No Projeto S.I.L.I. procuramos analisar idéias, previsões ou teorias à luz dos fatos e de bases científicas comprovadas, portanto, vamos a eles.

Em 2004, Patrick Gelsinger, Diretor de Tecnologia da Intel, em uma conferência em San Francisco/California, disse que a Internet enfrenta o risco de colapso total devido a sua arquitetura ainda ser a mesma desde sua criação na década de 70. Gelsinger atribui ao enorme crescimento da rede em países emergentes o excesso de tráfego na rede até 2010. A reportagem foi publicada no jornal inglês The Guardian e analisada pela CGI/UNICAMP que afirma que, apesar da penetração da Internet na população mundial ser de apenas 10%, o registro de endereços IP já somam 70% do que a rede tem a oferecer (dados de 2004).

Já em abril desse ano, o Vice-Presidente da AT&T Jim Cicconi alertou para o mesmo colapso em 2010/2011, porém, atribui o futuro "apagão" à crescente quantidade de downloads de vídeos e uploads de imagens em conteúdos circulantes pela Internet. Segundo Cicconi, "a cada minuto são armazenadas 8 horas de vídeos no YouTube e as transmissões de TV Digital só irão aumentar o risco de colapso com milhões de clippings de vídeo de alta definição sendo postados na web", diz a reportagem do Estadão.

Todo esse aumento exponencial de dados na Internet causou a criação do termo exaflood por Bret Swanson, do Discovery Institute, em artigo publicado no Wall Street Journal em janeiro de 2007. O termo significa uma "enchente" de exabytes na web. 1 exabyte é igual a 1.000.000.000.000.000.000 de bytes e, segundo uma tese polêmica, 5 exabytes poderiam conter "todas as palavras já faladas pela humanidade em todos os tempos"

Bem, colocadas as teorias, vamos aos fatos. Sem dúvida, existe uma explosão crescimento da Internet em países em desenvolvimento. Segundo a Internet World Stats, de 2000 a 2008, o número de usuários cresceu 1.030% na África, 1.176% no Oriente Médio e 660% na América Latina e Caribe. O menor crescimento se deu na América do Norte (128%) até por neste continente 73% da população já ser usuária da rede.

Em números absolutos, a Ásia é campeã com 530.000.000 de usuários, o que representa apenas 14% de sua população, havendo ainda muito espaço para expansão, principalmente na China. Em todo o mundo seriam mais de 1,4 bilhões de usuários (21% da população mundial) e um crescimento médio de 290% nos últimos 8 anos.

Na América Latina os campeões de crescimento foram a República Dominicana (3.700%) e Guatemala (1.930%), mas em números absolutos o Brasil está em 1° lugar com 42,6 milhões de usuários (crescimento de 752%).

[Alguns números interessantes podem ser vistos nesse site, como o crescimento de 53.400% da Internet no Afeganistão!! De 1.000 usuários no ano 2000 aquele país pulou para 535.000 em 2008! Estarão as tropas americanas de invasão levando suas M-16 wireless para as montanhas desertas afegãs? Ou terá a Al-Qaeda recrutado mais de 500.000 internautas??]

Em termos de tráfego na Internet, o Internet Traffic Report é o site mais utilizado para se acompanhar o comportamento da rede em tempo real, ainda que deficiente quanto a quantidade de routers monitorados. Este articulista utiliza o ITR há mais de 6 anos e vem notando uma alteração constante nos padrões de "tempo de resposta" e de "pacotes perdidos", bem como nos índices mostrados na página inicial os quais costumavam apresentar valores próximos de 90 para a Europa e Ásia, bem diferentes dos atuais.

Portanto, duas argumentações usadas por Gelsinger e Cicconi parecem ter sido comprovadas: a escala astronômica do crescimento da rede e aumento do tráfego de dados já causando alguma lentidão ("engarrafamento"?). Assim, não soam de todo absurdas as teorias de colapso total em 2010/2011, mas é importante se levar em conta que aqueles que levantam tal hipótese são executivos de grandes corporações de informática e telecomunicações e ambos apontam como solução o investimento bilionário na Internet o que, obviamente, os favorecerá.

Será esse "alerta" de colapso da Internet mais um hoax como o do "bug do milênio" (ou Y2K). Atentem para o fato de que, se não houve colapso total de computadores na passagem de 1999 para 2000, muito se deveu ao que foi investido nos 3 anos anteriores em modificações dos relógios internos das CPUs. Ou será que o aviso de saturação da web esconde a mesma guerra de interesses presente no alarmismo do aquecimento global antropogênico?

3 comentários:

solange disse...

Colapso..... Essa é a palavra do ínicio desse milênio! Tudo está por um triz! A internet é mais uma boa ferramenta, que usada ao seu limite, pode sim precisar de reparos urgentes.... Reparos mesmo precisa a inteligência humana, que mal planeja, mal usa, mal prevê, mal administra.... Mas a parte boa é que seria divertidíssimo ver isso acontecer!! Já pensou, os dependentes da internet? Arrancando os cabelos? Os estudantes, tendo que pesquisar em bibliotecas? Os bancos tendo que atender cada cliente? As pessoas precisando que se encontrar pessoalmente pra conversar.... Ai, eu iria adorar esse colapso!

Solange

Mr. Spock disse...

Realmente Solange, seria interessante se ver como ficaria o mundo sem Internet: correspondência por cartas, Imposto de Renda no papel, filas (ainda mais) astronômicas nos bancos...
Mas torcer por isso se assemelha muito aos argumentos de alguns "ambientalistas" que consideram que a Terra estaria muito melhor se metade (ou mais) da população mundial fosse exterminada.
De qualquer forma, não se anime muito, com certeza quando os limites se aproximarem, novas tecnologias surgirão para dar uma sobrevida à rede, afinal, são trilhões de dólares em jogo, a não ser que, como voce bem diz, o colapso da inteligência humana já esteja em um patamar que nos aproxime muito mais da Idiocracia total.

Grato pela visita e pelo comentário.

Anônimo disse...

feliz 2010!