sábado, 28 de junho de 2008

SOHO Descobre Seu 1500° Cometa

O SOHO (Solar and Heliospheric Observatory) descobriu em 25 de junho seu 1500° cometa tornando-se o maior descobridor de cometas da História. Na verdade, o cometa foi descoberto por um astrônomo amador americano utilizando imagens enviadas pelo LASCO C2 (Large Angle and Spectrometric Coronograph), um dos 12 instrumentos a bordo do SOHO. Toda uma equipe de voluntários altamente capacitados está encarregada de analisar as imagens do LASCO e foi a responsável pela identificação dos 1500 cometas até agora.

O SOHO é um projeto de colaboração entre a ESA e a NASA criado para estudar o Sol desde o seu núcleo até a corona externa e o vento solar. Foi lançado em 2 de dezembro de 1995 de Cabo Canaveral por um foguete Atlas II-AS. É composto por 2 módulos: o de serviço, responsável pelo provimento de energia, telecomunicações e navegação e o módulo de carga onde se situam os instrumentos científicos.

O SOHO está situado no primeiro Ponto de Lagrange (L1) em uma órbita fixa entre o Sol e a Terra, a cerca de 1.500.000 Km do nosso planeta.

Atualmente, em conjunto com o sistema STEREO e o Hinode (Solar B), o SOHO fornece imagens de enorme importância para o estudo e entendimento das atividades solares e sua influência sobre a Terra. O Projeto S.I.L.I. exibe, em sua coluna à esquerda, imagens em tempo real do LASCO C2, LASCO C3 e do EIT 304 (Extreme ultraviolet Imaging Telescope at 304 Angstrom) do SOHO, bem como os índices estimados de Kp (atividade geomagnética) da NOAA. O relógio de ventos solares e fluxo de prótons é fornecido pelo TerraMagnetoScope (link em "sites inteligentes").

Infelizmente, a imagem deste 1500º cometa não é muito nítida e não a colocaremos neste artigo, mas pode ser vista na homepage do SOHO. Porém, em reconhecimento à importancia dos dados e imagens do projeto para a astronomia solar e ciências em geral, exibiremos uma pequena galeria com "O Melhor do SOHO".


video

Em janeiro de 2002 o LASCO C3 fez essas imagens exclusivas do cometa 96P/Machholz sendo atingido por enorme CME (Coronal Mass Ejection). Repare que o cometa é desviado de sua órbita normal e sua cauda altera seu formato devido ao impacto recebido.


video

No início de 2003, o cometa oficialmente identificado como C/2002 V1 e conhecido como NEAT causou furor ao ter sua passagem pelo Sol registrada pelo SOHO. Com a divulgação das imagens surgiram especulações de que seria maior que Júpiter, que seria o misterioso "Planeta X" e de que se chocaria com a Terra. Mais uma vez os alarmistas erraram pois essas imagens foram captadas após a máxima aproximação do cometa da Terra. Notem o seu brilho sem precedentes no SOHO e que sua órbita e formato não se alteram mesmo passando por algumas expressivas CMEs.

video

Em 2000, no final do milênio, época de alta atividade solar (reparem as CMEs), o "apocalíptico" alinhamento de 5 planetas foi registrado pelo SOHO/LASCO C3. Aqui podemos ver o trânsito de Júpiter, Saturno, Mercúrio e Vênus que alinharam com o Sol, juntamente com a Terra. Como de costume, o mundo não acabou.




Em janeiro de 2002 essa imagem feita pelo LASCO C2 mostra extrema CME que jogou mais de 1 bilhão de toneladas de matéria no espaço, a uma velocidade de milhões de Km/h.





Os leitores assíduos do Projeto S.I.L.I. devem ter percebido, desde meados de maio passado, o objeto brilhante exibido pelo LASCO C3 na coluna lateral. Trata-se de um trânsito superior de Vênus (quando o planeta passa "por trás" do Sol). A intensa luminosidade do planeta vizinho causa distorção na imagem captada gerando o "risco" horizontal visto.

Essas são apenas algumas das muitas imagens já disponibilizadas pelo SOHO, que muito vem colaborando para o desenvolvimento do conhecimento humano sobre o Sol e outros corpos celestes. Tendo em vista o efeito direto da atividade solar sobre a Terra, o estudo desses dados pode nos levar a melhor compreensão das alterações por quais passa nosso planeta. Recomendamos visitas frequentes e detalhadas ao site do SOHO (e de outros heliosatélites), que seja para se ter uma visão ampliada de tudo que nos cerca e nos afeta, por mais distante que esteja.

segunda-feira, 9 de junho de 2008

2010: O ano que NÃO faremos contato - O Colapso da Internet

O calendário Maia prevê o fim do mundo para 2012, assim como outras previsões esotéricas. Alguns falam em asteróides ou cometas se chocando com a Terra por volta desse ano, mas a nova teoria catastrófica em voga na web é o colapso da Internet em 2010.

No Projeto S.I.L.I. procuramos analisar idéias, previsões ou teorias à luz dos fatos e de bases científicas comprovadas, portanto, vamos a eles.

Em 2004, Patrick Gelsinger, Diretor de Tecnologia da Intel, em uma conferência em San Francisco/California, disse que a Internet enfrenta o risco de colapso total devido a sua arquitetura ainda ser a mesma desde sua criação na década de 70. Gelsinger atribui ao enorme crescimento da rede em países emergentes o excesso de tráfego na rede até 2010. A reportagem foi publicada no jornal inglês The Guardian e analisada pela CGI/UNICAMP que afirma que, apesar da penetração da Internet na população mundial ser de apenas 10%, o registro de endereços IP já somam 70% do que a rede tem a oferecer (dados de 2004).

Já em abril desse ano, o Vice-Presidente da AT&T Jim Cicconi alertou para o mesmo colapso em 2010/2011, porém, atribui o futuro "apagão" à crescente quantidade de downloads de vídeos e uploads de imagens em conteúdos circulantes pela Internet. Segundo Cicconi, "a cada minuto são armazenadas 8 horas de vídeos no YouTube e as transmissões de TV Digital só irão aumentar o risco de colapso com milhões de clippings de vídeo de alta definição sendo postados na web", diz a reportagem do Estadão.

Todo esse aumento exponencial de dados na Internet causou a criação do termo exaflood por Bret Swanson, do Discovery Institute, em artigo publicado no Wall Street Journal em janeiro de 2007. O termo significa uma "enchente" de exabytes na web. 1 exabyte é igual a 1.000.000.000.000.000.000 de bytes e, segundo uma tese polêmica, 5 exabytes poderiam conter "todas as palavras já faladas pela humanidade em todos os tempos"

Bem, colocadas as teorias, vamos aos fatos. Sem dúvida, existe uma explosão crescimento da Internet em países em desenvolvimento. Segundo a Internet World Stats, de 2000 a 2008, o número de usuários cresceu 1.030% na África, 1.176% no Oriente Médio e 660% na América Latina e Caribe. O menor crescimento se deu na América do Norte (128%) até por neste continente 73% da população já ser usuária da rede.

Em números absolutos, a Ásia é campeã com 530.000.000 de usuários, o que representa apenas 14% de sua população, havendo ainda muito espaço para expansão, principalmente na China. Em todo o mundo seriam mais de 1,4 bilhões de usuários (21% da população mundial) e um crescimento médio de 290% nos últimos 8 anos.

Na América Latina os campeões de crescimento foram a República Dominicana (3.700%) e Guatemala (1.930%), mas em números absolutos o Brasil está em 1° lugar com 42,6 milhões de usuários (crescimento de 752%).

[Alguns números interessantes podem ser vistos nesse site, como o crescimento de 53.400% da Internet no Afeganistão!! De 1.000 usuários no ano 2000 aquele país pulou para 535.000 em 2008! Estarão as tropas americanas de invasão levando suas M-16 wireless para as montanhas desertas afegãs? Ou terá a Al-Qaeda recrutado mais de 500.000 internautas??]

Em termos de tráfego na Internet, o Internet Traffic Report é o site mais utilizado para se acompanhar o comportamento da rede em tempo real, ainda que deficiente quanto a quantidade de routers monitorados. Este articulista utiliza o ITR há mais de 6 anos e vem notando uma alteração constante nos padrões de "tempo de resposta" e de "pacotes perdidos", bem como nos índices mostrados na página inicial os quais costumavam apresentar valores próximos de 90 para a Europa e Ásia, bem diferentes dos atuais.

Portanto, duas argumentações usadas por Gelsinger e Cicconi parecem ter sido comprovadas: a escala astronômica do crescimento da rede e aumento do tráfego de dados já causando alguma lentidão ("engarrafamento"?). Assim, não soam de todo absurdas as teorias de colapso total em 2010/2011, mas é importante se levar em conta que aqueles que levantam tal hipótese são executivos de grandes corporações de informática e telecomunicações e ambos apontam como solução o investimento bilionário na Internet o que, obviamente, os favorecerá.

Será esse "alerta" de colapso da Internet mais um hoax como o do "bug do milênio" (ou Y2K). Atentem para o fato de que, se não houve colapso total de computadores na passagem de 1999 para 2000, muito se deveu ao que foi investido nos 3 anos anteriores em modificações dos relógios internos das CPUs. Ou será que o aviso de saturação da web esconde a mesma guerra de interesses presente no alarmismo do aquecimento global antropogênico?

sexta-feira, 6 de junho de 2008

2008 LD: Novo Asteróide só é descoberto após passar pela Terra

Não era nenhuma ameaça de extinção da vida no planeta com seus apenas 5 metros de comprimento e cerca de 200 toneladas de peso, mas o interessante sobre o asteróide 2008 LD é que foi descoberto no dia 2 de junho de 2008, 1 dia após ter passado bem perto da Terra.





O 2008 LD passou bem mais perto que o 2007 TU24 que tanta polêmica causou em fevereiro, porém, certamente por sua descoberta tardia, não gerou o clima de histeria verificado no início do ano.

Algumas características do 2008 LD:

  • Massa: 2,2 e+05 Kg
  • Diâmetro Estimado: 4,3 - 9,6 m
  • Distância: 0,0029 AU (aprox. 434.000 Km) - 1,1 LD (Lunar Distance)
  • Velocidade Relativa: 4,33 Km/s

A probabilidade de impacto foi posteriormente calculada em 5,0e-05, algo muito pequeno mas mesmo assim a maior probabilidade calculada até o ano de 2108, conforme a Earth Impact Table do NEO Program/JPL/NASA.

Devido ao seu tamanho e massa, caso entrasse na atmosfera terrestre, muito provavelmente o 2008 LD seria reduzido a dimensões que causariam danos pouco expressivos (se algum) ou mesmo seria pulverizado, dependendo de sua constituição (desconhecida).

Dois fatos ficaram comprovados com essa descoberta tardia:

  1. Apesar de toda a tecnologia em terra e no espaço (observatórios e satélites), a humanidade ainda não está preparada para enfrentar as ameaças dos NEOs (Near Earth Objects);
  2. Fica confirmada a máxima de "o que os olhos não veêm, o coração não sente". Mesmo que tivesse colidido com a Terra, o 2008 LD provavelmente não teria sido notícia ao cair no mar. Tendo sido descoberto apenas após sua maior aproximação, nem mesmo foi notado.

Para os que quiserem acompanhar as "pedrinhas" que rondam a Terra, recomendamos o site do NEO Program e seus links internos. Ao menos não seremos os últimos a saber se algum desses pedregulhos cair na nossa cabeça.