sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

Ministros do STF, Roraima e o Caso Raposa Serra do Sol


(Republicação do artigo original, do mesmo autor, no blog parceiro " Debata, Desvende e Divulgue! ")



Já há quem diga: "Roraima não é mais Brasil..."E, lamentavelmente, parece mesmo. Difícil por lá é saber quem é brasileiro nato e até os índios já estão falando Inglês e Francês, mas não o Português, como já relatado no post anterior a este. Presença do Governo? Quase nem se nota!

Roraima, em plena região amazônica, e situada numa região de fronteira entre a Venezuela e a Guiana, (com a Colômbia não muito distante), possui jazidas de ouro, diamantes, minerais nobres estratégicos, água doce abundante e uma rica biodiversidade. E longe dos olhos do Governo, torna-se uma terra sem lei, onde de tudo acontece: grilagem de terras, contrabando, narcotráfico, biopirataria, pilhagens, violências contra índios e nativos, crimes ambientais e... invasão estrangeira. São eles que estão pilhando as nossas riquezas e implantando a sua lei por lá; talvez a única que os roraimenses não boa-vistenses conheçam.

As reservas indígenas, principalmente a Ianomâmi, são as portas de entrada preferidas, graças a um erro diplomático brasileiro. As "ONGs e missões religiosas" vão na frente, fazendo exorcismos e evangelização forçada e, com isso, amansando e catequisando os índios. Depois, vêm as falsas ONGs humanitárias e ambientalistas; depois de tudo sob controle, os outros. Aí, vira a farra do boi, sem ninguém para incomodar, nem mesmo o Exército, porque dentro das reservas, quem manda são os índios e... os estrangeiros. Isso, na "nossa visão", porque na dos roraimenses, somos nós os estrangeiros.

Quando fizerem a demarcação contínua da reserva Raposa Serra do Sol (e o Governo parece que vai legalizá-la), a farra vai ser maior ainda. Já existem bandeiras americanas, francesas e inglesas tremulando nas entradas de algumas reservas indígenas. E agora, espantem-se: índios-líderes tchauas estão indo para o exterior, para serem "educados" e aprender Inglês ou Francês. Ao voltarem, devidamente "educados", poderão mais tarde pleitear a autonomia de suas reservas como novas nações e não lhes faltará o "apoio internacional". Depois, se a moda pegar e se alastrar, os índios, ingenuamente, irão ajudar a internacionalizar toda a Amazônia. É a lei da sobrevivência. Se a tutela brasileira não lhes agrada, quem sabe a dos americanos, a dos ingleses ou a dos franceses seja melhor.

Para que mais um erro não aconteça com a Reserva Raposa Serra do Sol, só os Ministros do STF podem nos salvar, votando contra a "demarcação contínua" e aprovando, em seu lugar, a "demarcação em ilhas". Mas muito provavelmente eles não farão isto. Os motivos? Bem.. os motivos, partindo do pressuposto de que todos os ministros sejam honestos, cultos, inteligentes e preparados, a única explicação que nos resta, embora isto seja uma "suposição", fruto das minhas lucubrações, é que estejam sofrendo pressão para "não votarem contra a demarcação contínua (ou votarem a favor dela, se preferirem)". A provável justificativa (???) se encontra no vídeo abaixo, conseqüência de um erro da Diplomacia Brasileira:

ONU ameaça retaliação, se Brasil não aprovar demarcação contínua das reservas indígenas (título original: "ONU quer a Amazônia")
Link: http://www.youtube.com/watch?v=VUJHK-bMi6k&feature=related (use-o para o caso de o vídeo não abrir diretamente)


Comentário: Com certeza, nossos ilustre ministros dirão que não aceitam votar sob pressão e que o STF é soberano e imparcial em suas decisões. Então, que nos convençam e justifiquem seus votos, antes de fevereiro de 2009!


Acorda, Governo! Acorda, STF! Acordem, Forças Armadas!
ACORDA, BRASIL!
========================================================
Nota: Para quem quiser protestar ou simplesmente ajudar os nossos ilustres ministros a se decidirem, fornecendo-lhes mais informações e "elementos de convicção", segue, abaixo, a relação dos e-mails de todos os Ministros do STF e do Conselho Nacional de Justiça (lembrem-se: vocês não precisam ter medo, mas os protestos e/ou sugestões, devem ser feitos de forma respeitosa e em Português escorreito):

Ellen Gracie - ellengracie@stf.gov.br , Gilmar Mendes - mgilmar@stf.gov.br , Celso de Mello - mcelso@stf.gov.br , Marco Aurélio de Mello - marcoaurelio@stf.gov.br , Cezar Peluso - carlak@stf.gov.br , Carlos Britto - gcarlosbritto@stf.gov.br , Joaquim Barbosa - gabminjoaquim@stf.gov.br , Eros Grau - gaberosgrau@stf.gov.br , Ricardo Lewandowski - gabinete-lewandowski@stf.gov.br , Carmen Lúcia - anavt@stf.gov.br , Menezes Direito - alexandrew@stf.gov.br
CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA: cnj@cnj.gov.br
(Eu já fiz a minha parte. Façam a de vocês!)
Obs.: Este artigo também poderá ser lido/comentado na página do autor em webartigos.com

========================================================
Talvez você também se interesse por estes artigos correlatos, no DDD:

2 comentários:

Mr. Spock disse...

Agradeço o artigo Ivo mas, sinceramente, já não acredito que o STF ou os militares atuais tenham senso patriótico suficiente para reverter essa ou outras situações do tipo.

O caso de Roraima já é perdido. 80% das terras do Estado ou são reservas indígenas ou reservas florestais, sobrando apenas 20% do território para o Governo do Estado administrar (por sinal, as piores terras). Com isso, Roraima já é "terra-de-ninguém", ou melhor, terra "deles"!

Boa parte da Amazônia Ocidental se encontra na mesma situação e o Exército Brasileiro, apesar da competência constitucional e do General Heleno, não possui mais efetivos e equipamentos suficientes para garantir a integridade do território nacional.

Por falar no General Heleno, Comandante Militar da Amazônia, após suas entrevistas em abril de 2008, foi ameaçado de exoneração pelo semi-analfabeto que ocupa a Presidência da República e só se manteve no cargo por solidariedade de seus comandados que se comprometeram a entregar seus comandos caso a dispensa se confirmasse. Hoje, o General se mantém no CMA mas está devidamente "mudo".

Do STF então...o que esperar de juízes nomeados politicamente e que se prendem a qualquer detalhe jurídico, menos ao bem maior do país?

Portanto colega, já podemos considerar que iremos legar às futuras gerações um Brasil bem menor do que os nossos antepassados conquistaram, graças a nossa própria covardia e omissão.

ivosgreis disse...

Spock:

Tinha certeza de que seria esta a sua visão. E a informação que você me dá sobre o General Heleno, já era prevista, embora eu ainda não tivesse tido tempo de confirmar. Vou reproduzir a denúncia no DDD, mas ficaria grato se você mesmo o fizesse. Estamos sentindo falta da sua combatividade por lá.

É assim que funcionam as coisas aqui no Brasil. Falou contra o Governo oiu fez denúncias graves? Engessa ou transfere ou processa, conforme seja o autor das denúncias servidor público ou não.

Vou reproduzir o texto deste seu comentário entre aspas, citando o seu link. Por que anda sumido dos blogs?

Abraços!